quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Aleatório



Minha mãe não sabia que eu escrevia uma 'coluna', nem que tenho esse blog. Até dias atrás, quando mostrei à ela meu último post no SouG e a reação de Dona Vilma pro post foi: "CARALHO!". Fiquei meio com cara de 'ué', sem saber como encarar a reação, mas visto que mamis é um tanto crítica desencanei e levei como algo espontâneo/positivo. Daí chego no meu trabalho e a recebo (de uma colega de trabalho aleatória) um elogio sobre o tal post da semana, seguido de um "De onde sai a inspiração?". A resposta: "Sei lá!"

A verdade é que escrever sempre foi um tanto orgânico. As vezes estou no metrô, com a cabeça pensando em nada em particular quando uma cena comum me chama atenção ou alguém que passa me dá um norte para sabe-se Cher o quê! Ou então, no meio da madrugada, o sono vai embora e vem aquele funiquito incontrolável e eu me pego encarando a página em branco do word com o cursor piscando. 

Escrever, por um tempo, foi válvula de escape pra superar algumas frustrações típicas do começo da casa dos 20. Hoje em dia, nem sei mais dizer o que escrever é pra mim, mas não é uma obrigação, nunca foi e espero que nunca se torne. 

O engraçado que nunca me perguntei do "por que" escrevo e quando paro para pensar não chego a uma conclusão exata. Talvez seja por narcisismo, por querer meu ego inflado, para tentar desafogar minha cabeça ou talvez para afirmar para eu mesmo que no mundo há mais gente que pensa/sente o que eu penso/sinto e talvez assim não me sentir só (nas raras vezes que me sinto). 

Hoje, me perguntaram quando sai minha próxima crônica pro SouG. A resposta foi um sincero 'Não sei.' e voltei para casa do trabalho, embaixo de chuva e matutando 'Por que escrevo? De onde vem a inspiração?'. Continuo sem saber. 

Talvez só saiba o dia que não puder mais escrever, mas enquanto eu tiver a mínima certeza que alguém me lê e me entende, vou continuar encarando o cursor piscando filhodaputamente a rir da minha cara, porque essa sensação de 'gratidão' inexplicável que tenho ao postar, não tem preço.

Nota do autor: um sincero 'obrigado' a todos os 'desconhecidos' que passam por aqui e/ou no SouG. Sim, os comentários-curtidas-compartilhamentos-emails de vocês fazem bem e não tenho como expressar o quanto fico contente com eles!